Publicação sobre White Certificates é nova opção para estudiosos do tema

Estímulo talvez seja a palavra “certa” na abordagem do autor….

Embora agraciado na última década (aproximadamente) com a entrada de modelos de certificação verde no Brasil, nos deparamos hoje com operações parcialmente ou integralmente “falidas” ou falhas nestas mesmas edificações certificadas, principalmente devido à nossa falta de cultura e na falta de estímulos aos investidores.

Sem querer polemizar (já abordei este tema neste blog por mais de uma oportunidade), o maior estímulo de investidores e proprietários foi a valorização de seus ativos com o selo da certificação, em um momento no qual tínhamos olhares do mundo voltados ao Brasil (estável em sua economia e promissor com a escolha para sediar os jogos olímpicos e a copa do mundo).

Em relação aos investidores com os quais mantivemos contato nestes anos, jamais pude observar em seus olhos o desejo de ter uma edificação mais eficiente, gerando custos operacionais mais baixos (e evidentemente atrativos para os seu negócio e seus usuários), qualidade e conforto aos ocupantes e, principalmente, benefícios incomparáveis à natureza e ao meio ambiente.

Porém, todo este “estímulo” teria o seu “tempo contado”…., não proporcionando aos investidores uma visão de médio ou longo prazo, sem nenhum benefício qualquer de nosso governo.

Enfim, retornamos aqui às operações “falidas”.

Voltando ao tema deste post, vejam no tema e no link abaixo a proposta (já em aplicação em outros países, segundo o autor) sobre a criação de novos estímulos, evidentemente que possíveis com a visão e apoio de nossos governantes….

Este novo estímulo se baseia em um mercado onde seja possível se negociar a energia economizada pelas edificações mais eficientes, o que substituiria (na proposta do autor) o atual programa da ANEEL, cuja abrangência é ainda muito pequena na minha humilde visão.

Torço realmente para que questões como está sejam tratadas de maneira séria pelos nossos governantes.

Vejam abaixo a divulgação do Procel a este respeito.

Fonte: Procel Info

O livro “White Certificates: um mercado de títulos de eficiência energética para o Brasil” (Rinaldo Caldeira), publicado no último mês de novembro, discute o tema como um potencial a ser usado no Brasil.

O autor mostra como esse instrumento já vem sendo adotado em diversos países, com resultados satisfatórios, e propõe uma adaptação ao cenário brasileiro.

Fonte da notícia:

Link: http://www.iee.usp.br/?q=pt-br/publica%C3%A7%C3%A3o/white-certificates-um-mercado-de-t%C3%ADtulos-de-efici%C3%AAncia-energ%C3%A9tica-para-o-brasil

*Com informações de IEE/USP

Anúncios

Sobre Alexandre Fontes

Alexandre Fontes é formado em Engenharia Mecânica e Engenharia de Produção pela Faculdade de Engenharia Industrial FEI, além de pós-graduado em Refrigeração & Ar Condicionado pela mesma entidade. Desde 1987, atua na implantação, na gestão e na auditoria técnica de contratos e processos de manutenção. É professor da cadeira "Comissionamento, Medição & Verificação" no MBA - Construções Sustentáveis (UNICID / INBEC), professor na cadeira "Gestão da Operação & Manutenção" pela FDTE (USP) / CORENET e professor da cadeira "Operação & Manutenção Predial" no curso de Pós Graduação em Avaliação e Perícias de Engenharia pelo IBAPE / MACKENZIE. Desde 2001, atua como consultor em engenharia de operação e manutenção.
Esse post foi publicado em Brasil, Eficiência Energética, Sustentabilidade, Uso Racional de Água e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s