LIMITE DE ALTURA PARA A CONSTRUÇÃO DE PRÉDIOS PODERÁ SER AFETADO DEVIDO ADEQUAÇÃO DA LEGISLAÇÃO DE GABARITOS, EM ANDAMENTO, PELA AERONÁUTICA

Fonte: Revista Infra

Sem fazer alarde, a Aeronáutica prepara uma grande mudança na legislação de gabaritos de proteção dos principais aeroportos brasileiros. Essa mudança pode afetar o mercado imobiliário das grandes cidades, uma vez que esses gabaritos aeronáuticos limitam a altura de construção de prédios em áreas bastante extensas em volta dos aeroportos, que podem chegar a mais de 100 Km 2.

Segundo o Engenheiro Claudio Borges, diretor da empresa Dumont Engenharia Aeroportuária, para se adaptar à legislação internacional, a Aeronáutica pretende alterar tamanhos e altitudes de diversas áreas de proteção em volta dos aeroportos de cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Recife, etc. Essas alterações trarão muitas surpresas, agradáveis e desagradáveis, com ganhos e perdas de gabaritos, dependo da região observada.

“O Padrão Internacional requer áreas menores de proteção, mas os gabaritos de altura podem ser mais baixos. Em São Paulo, por exemplo, teremos grandes surpresas em volta do aeroporto de Congonhas. Numa área de 60 Km2, onde estão os principais bairros da cidade, o gabarito vai baixar quase 17 metros para os novos empreendimentos, quando comparado com a altura dos prédios já construídos na vizinhança. Em áreas da zona norte, próximo ao Campo de Marte, a situação poderá ser ainda pior, pois o próprio terreno já ficará acima da cota permitida. Arquitetos e Construtoras precisam ficar atentos a esse assunto nas próximas semanas, caso contrário o prejuízo poderá ser grande”, afirma o Engenheiro. Para maiores informações envie um e-mail para: Claudio Borges – dumont.claudio@uol.com.br

Anúncios

Sobre Alexandre Fontes

Alexandre Fontes é formado em Engenharia Mecânica e Engenharia de Produção pela Faculdade de Engenharia Industrial FEI, além de pós-graduado em Refrigeração & Ar Condicionado pela mesma entidade. Desde 1987, atua na implantação, na gestão e na auditoria técnica de contratos e processos de manutenção. É professor da cadeira "Comissionamento, Medição & Verificação" no MBA - Construções Sustentáveis (UNICID / INBEC), professor na cadeira "Gestão da Operação & Manutenção" pela FDTE (USP) / CORENET e professor da cadeira "Operação & Manutenção Predial" no curso de Pós Graduação em Avaliação e Perícias de Engenharia pelo IBAPE / MACKENZIE. Desde 2001, atua como consultor em engenharia de operação e manutenção.
Esse post foi publicado em Brasil, Leis e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s