Comissionamento na fase de ocupação e uso em uma edificação

Conhecido pela maioria como “ferramenta” ou conjunto de procedimentos que visam assegurar a entrega técnica de sistemas prediais ou insdustriais, o processo de COMISSIONAMENTO em sistemas ou instalações é, na realidade, uma importantíssima ferramenta de controle de qualidade durante toda a vida de um ativo, ou seja, desde a sua concepção e projeto, até o seu decomissionamento ou desmobilização.

Durante a fase de ocupação e uso de uma edificação ou instalação, o processo de comissionamento assume um papel importante, ao auxiliar as equipes de operação e manutenção ao assegurar com que equipamentos e sistemas atinjam o seu melhor desempenho ou performance, em relação ao que foram previstos (na fase de projetos), ainda que se considere a perda natural de performance por obsolescência.

Ainda que as instalações tenham sofrido alguma “mutação” ou ajustes para se adequar ao “modus operandi” da edificação e de seus ocupantes (adequações em instalações de ar condicionado, hidráulica, iluminação e em sistemas de potência, por exemplo), o comissionamento poderá resgatar o melhor deste sistema, levando em consideração estas novas características resgatadas no processo.

Estamos falando aqui de 3 (três) modalidades de comissionamento aplicáveis à esta fase da edificação:

RECOMISSIONAMENTO: Trata-se da aplicação de um Processo de Comissionamento e seus requisitos para projetos ou sistemas previamente comissionados, o que possibilitará, inclusive, a análise comparativa entre os dois desempenhos apresentados. A decisão quanto a realização de um RECOMISSIONAMENTO poderá partir da identificação de desvios no processo, pela equipe local de operação e manutenção, assim como também esta decisão poderá ser tomada a partide um processo de comissionamento contínuo em curso.

RETROCOMISSIONAMENTO: Trata-se da aplicação de um Processo de Comissionamento sobre instalações ou sistemas que não tenham sido previamente comissionados. Diferentemente dos demais tipos de comissionamento, este processo poderá requerer o uso de simulações para que se estime o baseline referente ao desempenho ou performance prevista para o sistema, caso não se obtenha as informações necessárias em projeto.

COMISSIONAMENTO CONTÍNUO: O Processo de Comissionamento Contínuo é basicamente uma continuação ou extensão de um processo de Comissionamento, durante a fase de ocupação e operação do empreendimento ou sistema, objetivando avaliar se a instalação ainda atende aos requisitos e performance definidos em projetos e nos requisitos do proprietário. Ele poderá ser especificado de forma contínua, como em uma linha de produção, por exemplo, ou ainda de forma programada e para ocorrer durante um período estabelecido, conforme a necessidade da operação.

Embora destinados a ajudar proprietários, gestores e administradores de edificações e da operação, observa-se ainda, por questões culturais e de desconhecimento, um reduzido índice de sua aplicação, ainda que as grandes capitais de nosso pais tenham um universo de aproximadamente 80% de suas edificações consideradas como existentes, entre 10 e 50 anos de vida útil percorrida.

Instalações como Centrais de Água Gelada ou Centrais de Água de Condensação, Sistemas de condicionamento e distribuição de ar climatizado, Sistemas Centrais de Exaustão ou Ventilação, Sistemas de Bombeamento em Instalações Hidráulicas, Sistemas de distribuição elétrica, assim como a parametrização de proteções e ações, Operação de Usinas de Geração , entre outras, são instalações de podem e devem ser recomissionadas ou retrocomissionadas, ou ainda submetidas em alguns casos à um processo de comissionamento contínuo.

Atingir o desempenho ou a melhor performance possível em um sistema ou instalação significa termos uma edificação energeticamente mais eficiente, uma instalação mais segura para os usuários (como no exemplo de sistemas de proteção em rotas de fuga) e uma edificação que promova de forma adequada os ambientes de trabalho para a melhor produtividade de seus ocupantes.

É verdade que não se tem uma literatura vasta no Brasil sobre o tema, mas, para aqueles que desejam conhecer um pouco mais sobre este universo, sua aplicação e benefícios, deixo a seguir alguns caminhos ou links de instituições ou associaçõe internacionais que desenvolvem este tema, assim como o link de um chapter aqui no Brasil.

Também apresentarei nos próximos dias 21 e 22 de julho um curso rápido e online sobre comissionamento em edificações, cujo link encontra-se a seguir:

O curso acima será ministrado através da AEA, sendo que basta clicar na figura acima ou no link abaixo para ser redirecionado para a página do curso

Página do curso: https://www.aea.com.br/cursos-online/curso-de-comissionamento-em-edificacoes/

Sobre Alexandre Fontes

Alexandre Fontes é formado em Engenharia Mecânica e Engenharia de Produção pela Faculdade de Engenharia Industrial FEI, além de pós-graduado em Refrigeração & Ar Condicionado pela mesma entidade. Desde 1987, atua na implantação, na gestão e na auditoria técnica de contratos e processos de manutenção. É professor da cadeira "Comissionamento, Medição & Verificação" no MBA - Construções Sustentáveis (UNICID / INBEC), professor na cadeira "Gestão da Operação & Manutenção" pela FDTE (USP) / CORENET e professor da cadeira "Operação & Manutenção Predial" no curso de Pós Graduação em Avaliação e Perícias de Engenharia pelo IBAPE / MACKENZIE. Desde 2001, atua como consultor em engenharia de operação e manutenção.
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s