Aeroportos Santos Dumont e de Congonhas serão leiloados até 2022

Fonte: AECWeb

Por: Yuri Soares

Acesse aqui a matéria diretamente em sua fonte.

O ministro da infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, informou em reunião realizada com empresários no Rio de Janeiro, que o Governo Federal pretende conceder à iniciativa privada mais 44 aeroportos da Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária) até 2022.

Segundo Freitas, o modelo de leilão de concessão em blocos de 12 aeroportos, realizado em março, foi testado e aprovado. Na ocasião, a arrecadação total foi de R$ 2,377 bilhões em outorgas para os cofres públicos. O valor foi 986% maior que o lance mínimo estabelecido pelo governo (R$ 218,7 milhões).

A próxima rodada de concessões, que corresponde a sexta de aeroportos, está prevista para outubro de 2020, e irá abranger 22 terminais divididos em três blocos regionais: Sul, Centro-Oeste e Norte 1. A sétima rodada deverá acontecer entre o fim de 2021 e o início de 2022, com a concessão de mais 22 aeroportos dispostos entre os blocos Norte 2 e dois do Sudeste. Fazem parte desta etapa de concessões os aeroportos Santos Dumont e de Congonhas.

De acordo com o ministro Gomes de Freitas, esses dois aeroportos foram deixados por último, por serem muito importantes para a estabilidade financeira da Infraero. “Estamos convidando o investidor a conhecer o mercado brasileiro e já vir para a sexta rodada. E é como se a gente afirmasse assim: o melhor está ficando para o final”, detalhou.

O ministro disse, ainda, que a concessão dos terminais aeroportuários irá impulsionar o mercado de aviação civil e auxiliar em uma mudança de vocação da Infraero, que deverá direcionar sua atenção aos aeroportos regionais.

Sobre Alexandre Fontes

Alexandre Fontes é formado em Engenharia Mecânica e Engenharia de Produção pela Faculdade de Engenharia Industrial FEI, além de pós-graduado em Refrigeração & Ar Condicionado pela mesma entidade. Desde 1987, atua na implantação, na gestão e na auditoria técnica de contratos e processos de manutenção. É professor da cadeira "Comissionamento, Medição & Verificação" no MBA - Construções Sustentáveis (UNICID / INBEC), professor na cadeira "Gestão da Operação & Manutenção" pela FDTE (USP) / CORENET e professor da cadeira "Operação & Manutenção Predial" no curso de Pós Graduação em Avaliação e Perícias de Engenharia pelo IBAPE / MACKENZIE. Desde 2001, atua como consultor em engenharia de operação e manutenção.
Esse post foi publicado em Artigos Diversos, Brasil e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s