Automação diminui 30% em despesa de Torres Empresariais do Ibirapuera

Vejam a seguir a reportagem divulgada nesta semana pelo PROCEL e elaborada pela Inforchannel, tratando sobre a importância da automação predial em uma edificação comercial ou residencial.

Como já citamos algumas vezes neste blog, não existem dúvidas sobre a necessidade e contribuição de sistemas automatizados e de sua integração com os demais sistemas e equipamentos, para um adequado desempenho do edifício, incluindo entre estes quesitos o controle no consumo de energia e água.

No entanto, observam-se no mercado algumas falhas e/ou pontos preocupantes, que demandam por uma séria atenção, por parte do investidor:

  1. Projetos de automação: Lamentavelmente, os projetos de automação nem sempre recebem a mesma atenção dada aos demais projetos de infraestrutura predial (elétrica, ar condicionado e hidráulica), sendo, no entanto, importante a participação de um profissional de automação durante o desenvolvimento de todos os demais projetos, para que os devidos cuidados com as especificações de integração / comunicação e lógicas funcionais estejam alinhadas.
  2. Contratação da Obra: Da mesma forma, a contratação da obra de automação é geralmente a última na fila…, o que normalmente promove uma defasagem entre o projeto orçado (por ocasião da concorriencia) e o projeto ajustado em obra, ou seja, já contendo reduções e/ou alterações inseridas pelo proprietário ou seu interveniente
  3. A falta ou falha em se ter um comissionamento integrado: Um outro ponto igualmente importante refere-se a realização de alinhamentos e compatibilizações entre os projetos de infraestrutura e o projeto de automação ao longo de toda a obra, o que definirá inclusive, a relação de testes operacionais necessários à se avaliar a adequada INTEGRAÇÃO entre os diferentes sistemas e o seu desempenho (funcional e de monitoramento, através de sensores e medidores). Ocorre, no entanto, que as demais instaladoras “encerram) as suas atividades antes mesmo do fechamento final com a automação, dependendo exclusivamente do gestor da obra e de sua experiência no assunto para que os cuidados acima não se percam.
  4. A falta de cuidados na operação e manutenção de um BMS: Além de normalmente se entregar a operação de uma infraestrutura predial para o setor de supervisão de segurança, em função de uma otimização de recursos e de custos envolvidos, verifica-se comumente o conceito de que sensores, medidores e atuadores JAMAIS precisarão de aferições / calibrações, o que certamente culminará em algum tempo, em leituras de temperatura de conforto em 79º C, ou coisas do tipo…
  5. Atualização tecnológica: Há alguns anos atrás, ouvi de um colega norte americano sobre o seu orçamento anual (O&M) que contemplava a previsão de um valor a cada 3 anos, para a atualização tecnologica da “alma” de seu edifício – a automação predial… , algo que certamente (com raríssimas exceções!!!) não estamos acostumados a ver por aqui…

O fato é que não se dá a devida importância ao processo de automação em uma edificação, perdendo-se rapidamente (entre o primeiro e o terceiro ano de operação) o controle de sua instalação e incorrendo em falhas sistêmicas, que causam impacto direto no desempenho destes sistemas.

Façam uma boa leitura da matéria a seguir, mas procurem não esquecer de tomar os cuidados acima. Boa leitura!!

————————————————————————————————————–

Fonte: Inforchannel

Acesse aqui a matéria em sua fonte.

Redução no consumo de gás e energia elétrica nas contas do condomínio e alta eficiência operacional através da automação foram fatores que influenciaram o projeto de retrofit da automação para proporcionar uma operação avançada de um empreendimento comercial. Pensando neste cenário, o Condomínio Torres Empresariais do Ibirapuera, empreendimento comercial que abriga duas torres com 56 conjuntos comerciais cada, área total de 50 mil m², localizado no bairro de Moema na capital paulista, contou com a E-vertical para o projeto de retrofit de automação e ajudá-lo neste desafio.

O empreendimento, que possuía um sistema de automação parcialmente funcional, viabilizou o projeto de modernização e inclusão de equipamentos de automação, sensores, válvulas e uma nova lógica para aprimoramento da rotina de operação da automação, com ênfase no ar-condicionado.

Após a conclusão, em abril de 2017, o empreendimento obteve uma redução nas contas de gás natural e de energia elétrica de mais de R$ 31 mil mensais, uma economia de cerca de 30% no valor total das despesas com insumos de energia elétrica e gás natural. A economia média de consumo foi de cerca de 17 mil kW de energia e 17 mil m³ de gás natural mensais com payback simples.

“Atingimos um excelente resultado por meio da inclusão de recursos de automação mais eficientes e modernos, aliada à operação remota de utilidades, tivemos condições de entregar o máximo de eficiência na rotina do condomínio, trazendo uma expressiva redução do consumo de energia e gás natural.”, afirma Brunno Freitas, gerente de produtos da E-vertical.

O Condomínio Torres Empresariais do Ibirapuera possui certificação internacional LEED EB O&M (Operação e Manutenção para Prédios Existentes) de Nível Silver. A certificação foi concedida pelo USGBC (United States Green Building Council), que audita e certifica o desempenho em sustentabilidade e, a fim de alcançar o desempenho necessário, soluções e tecnologias sustentáveis são adotadas na operação e manutenção de um empreendimento existente. Desta forma, são minimizados os impactos causados no meio ambiente durante toda a vida útil da edificação.

“O condomínio, em linha com os conceitos da certificação LEED EB-O&M recém obtida, busca constantemente investir em novas tecnologias para aumentar a eficiência da operação. Uma das alternativas era o projeto de retrofit da automação, e, por meio dele, pudemos gerar economia nos insumos e reduzir os desperdícios, aumentando de forma expressiva o nosso desempenho.”, explica Marcelo Junqueira, síndico profissional do Condomínio Torres Empresariais do Ibirapuera.

Os sistemas de utilidades prediais tais como iluminação, ar-condicionado, geradores, água potável, ventilação, entre outros, são operados remotamente pela E-vertical 24 horas por sete dias da semana, ininterruptamente. “Com a solução de automação predial da E-vertical, o Torres Empresariais do Ibirapuera reafirmou sua posição de destaque em eficiência e hoje é um dos principais empreendimentos comerciais corporativos do Brasil”, conclui Junqueira.

Anúncios

Sobre Alexandre Fontes

Alexandre Fontes é formado em Engenharia Mecânica e Engenharia de Produção pela Faculdade de Engenharia Industrial FEI, além de pós-graduado em Refrigeração & Ar Condicionado pela mesma entidade. Desde 1987, atua na implantação, na gestão e na auditoria técnica de contratos e processos de manutenção. É professor da cadeira "Comissionamento, Medição & Verificação" no MBA - Construções Sustentáveis (UNICID / INBEC), professor na cadeira "Gestão da Operação & Manutenção" pela FDTE (USP) / CORENET e professor da cadeira "Operação & Manutenção Predial" no curso de Pós Graduação em Avaliação e Perícias de Engenharia pelo IBAPE / MACKENZIE. Desde 2001, atua como consultor em engenharia de operação e manutenção.
Esse post foi publicado em Comentarios do Bloggeiro, Comissionamento, Eficiência Energética, Facility Management, Novas Tecnologias, Sustentabilidade e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s