Escritórios classe A passam para a classe B em SP

Fonte: Revista Infra – Mundo Facility

Acesse aqui a matéria em sua fonte.

Foi o que aconteceu com mais de 200 mil m² de escritórios, segundo pesquisa da Newmark Brasil

Com base em critérios globais de análise do mercado de escritórios, adaptados ao cenário local, a Newmark Brasil, subsidiária da anglo-americana Newmark Grubb Knight Frank, concluiu um processo de reavaliação do estoque de edifícios comerciais de alto padrão da cidade de São Paulo. A pesquisa apontou que a área ocupada por empreendimentos de classe A e A+ é agora de aproximadamente 4 milhões de m², distribuída, sobretudo, nas regiões Berrini, Marginal Pinheiros, Vila Olímpia/Itaim Bibi, Paulista e Faria Lima.

Um dado relevante apontado pelo levantamento é que 8,5% do estoque avaliado, correspondentes a 210 mil m², caíram da classe A para a classe B.

Segundo a empresa, a pontuação atribuída aos empreendimentos no estudo levou em conta, principalmente, os seguintes quesitos: localização e idade dos empreendimentos, qualidade de elevadores, número de vagas de garagem, tamanho de lajes, disponibilidade de piso elevado, tamanho do pé-direito, recursos de dados, voz, imagem, certificações recebidas e infraestrutura de energia.

De acordo com o executivo responsável pela área de escritórios da Newmark Brasil, Eduardo Cardinali, o investimento na pesquisa teve como objetivo fortalecer o banco de dados da empresa e está atrelado à sua estratégia de negócios nos mercados local e global. Nos próximos meses, diz Cardinali, a Newmark deverá promover um estudo idêntico no mercado do Rio de Janeiro.

A Newmark Grubb Knight Frank é uma das líderes globais do mercado de consultoria de imóveis comerciais. Oferece soluções imobiliárias para empresas multinacionais, investidores institucionais, proprietários e usuários. Sediada em Nova York e Londres, a empresa fatura em torno de US$ 1,5 bilhão, com 320 escritórios no mundo, 12 mil colaboradores e 600 milhões de metros quadrados transacionados.

No Brasil, a Newmark movimentou R$ 800 milhões em transações ao final de 2015. A expectativa para este ano é atingir a cifra de R$ 1,5 bilhão em negócios. 

Anúncios

Sobre Alexandre Fontes

Alexandre Fontes é formado em Engenharia Mecânica e Engenharia de Produção pela Faculdade de Engenharia Industrial FEI, além de pós-graduado em Refrigeração & Ar Condicionado pela mesma entidade. Desde 1987, atua na implantação, na gestão e na auditoria técnica de contratos e processos de manutenção. É professor da cadeira "Comissionamento, Medição & Verificação" no MBA - Construções Sustentáveis (UNICID / INBEC), professor na cadeira "Gestão da Operação & Manutenção" pela FDTE (USP) / CORENET e professor da cadeira "Operação & Manutenção Predial" no curso de Pós Graduação em Avaliação e Perícias de Engenharia pelo IBAPE / MACKENZIE. Desde 2001, atua como consultor em engenharia de operação e manutenção.
Esse post foi publicado em Brasil, Facility Management, Real Estate e Mercado Imobiliário e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s