Beleza urbana e eficiente

Fonte: revista Lumière Electric

Por: Luciana Freitas

Acesse aqui a reportagem na íntegra: Revista Lumière Eletric.pdf.

Em reportagem de capa, a revista Lumière Eletric aborda a evolução dos sistemas de iluminação pública em todo o mundo, uma tecnologia de deixou de ser rudimentar para tornar-se mais complexa, moderna e eficiente.

Por meio de de diagnósticos luminotécnicos, ruas escuras e mal iluminadas podem ser mapeadas possibilitando um melhor controle dos sistemas de iluminação, já que os pontos escuros serão identificados com mais facilidade. Outro ponto destacado é a substituição das lâmpadas de vapor de sódio por luminárias de LED.

“Atualmente, as lâmpadas a vapor de sódio representam 71% do parque instalado de iluminação pública no país. Entretanto, já existe uma forte tendência de utilização de luminárias LED, e esse percentual deve começar a mudar nos próximos anos” diz Marcel da Costa Siqueira, engenheiro eletricista e chefe da Divisão de Eficiência Energética no Setor Público da Eletrobras.

Além da parte funcional, a iluminação pública também contribuiu para o embelezamento urbano e consequentemente melhora a qualidade de vida da população local. Com a transferência dos ativos de iluminação pública das distribuidoras para as prefeituras, especialistas ouvidos pela Lumière Eletric consideram que haverá uma melhora na prestação deste serviço, já que o poder público poderá dar mais atenção para este quesito, principalmente em regiões menos favorecidas.

“Com a capacitação e implantação dos sistemas, haverá grandes avanços e ganhos para a população e prefeituras. Entendo que o gerenciamento deva ser imediato e indispensável para o município se organizar e, de fato, assumir a gestão. O telegerenciamento é um upgrade que deve vir acompanhado com a mudança para a tecnologia LED”, ressalta Carlos Augusto Ramos Kirchner, engenheiro, diretor do Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo (SEESP).

Anúncios

Sobre Alexandre Fontes

Alexandre Fontes é formado em Engenharia Mecânica e Engenharia de Produção pela Faculdade de Engenharia Industrial FEI, além de pós-graduado em Refrigeração & Ar Condicionado pela mesma entidade. Desde 1987, atua na implantação, na gestão e na auditoria técnica de contratos e processos de manutenção. É professor da cadeira "Comissionamento, Medição & Verificação" no MBA - Construções Sustentáveis (UNICID / INBEC), professor na cadeira "Gestão da Operação & Manutenção" pela FDTE (USP) / CORENET e professor da cadeira "Operação & Manutenção Predial" no curso de Pós Graduação em Avaliação e Perícias de Engenharia pelo IBAPE / MACKENZIE. Desde 2001, atua como consultor em engenharia de operação e manutenção.
Esse post foi publicado em Brasil, Eficiência Energética, Sustentabilidade e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s