Gestão do Conhecimento (!?)

Li recentemente sobre a iniciativa de algumas grandes empresas em criar a posição de Gestor do Conhecimento, o qual terá como uma de suas responsabilidades a preocupação e o traçar de uma estratégia para reter o conhecimento técnico adquirido pela empresa através de seus funcionários, evitando o tradicional êxodo ou, se preferirem, o escoamento deste conhecimento para o mercado, com a perda destes profissionais.

Neste mundo competitivo em que vivemos, a qualidade de uma empresa será sempre um diferencial, principalmente se considerarmos que estamos cada vez mais deixando a era dos generalistas (ainda bem!!!) e entrando na era dos especialistas ou multi-especialistas.

Qualidade esta que pode ser obtida não só por ser produto ou serviço final, mas por tudo aquilo que os compõem, tais como: a organização interna e o comprometimento de toda a estrutura, a infra-estrutura (maquinários, instrumentação, veículos, ferramentas, etc), a experiência de como não se deve fazer, a experiência de como se deve atender o cliente, o compromisso com o meio ambiente, os profissionais envolvidos, programas internos de capacitação e retenção de valores, entre outros.

Vejam que, na minha opinião, reter o conhecimento será tão importante quanto saber usa-lo em sua organização, razão pela qual a atuação deste Gestor de Conhecimento devera estar lado a lado com uma estratégia de capacitação e preservação dos bons valores.

Muito ainda terá que ser feito, mas espero que não se preocupem apenas com a documentação ou o registro destes conhecimentos adquiridos, mas também com toda a estratégia de como usa-lo.

Ações imediatistas e o domínio ou a projeção temporária de empresas em seus segmentos precisam abrir espaço para o planejamento à médio e longo prazo.

Enfim, vamos torcer para que esta possível ponta do iceberg não pare por aí, apenas afundando pequenas ou grandes embarcações.

Sobre Alexandre Lara

Alexandre Fontes é formado em Engenharia Mecânica e Engenharia de Produção pela Faculdade de Engenharia Industrial FEI, além de pós-graduado em Refrigeração & Ar Condicionado pela mesma entidade. Desde 1987, atua na implantação, na gestão e na auditoria técnica de contratos e processos de manutenção. É professor da cadeira de "Operação e Manutenção Predial sob a ótica de Inspeção Predial para Peritos de Engenharia" no curso de Pós Graduação em Avaliação e Perícias de Engenharia pelo MACKENZIE, professor das cadairas de Engenharia de Manutenção Hospitalar dentro dos cursos de Pós-graduação em Engenharia e Manutenção Hospitalar e Arquitetura Hospitalar pela Universidade Albert Einstein, professor da cadeira de "Comissionamento, Medição & Verificação" no MBA - Construções Sustentáveis (UNIP / INBEC), tendo também atuado como professor na cadeira "Gestão da Operação & Manutenção" pela FDTE (USP) / CORENET. Desde 2001, atua como consultor em engenharia de operação e manutenção.
Esse post foi publicado em Artigos do Autor e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s