Maturidade profissional não está ligada à idade

Fonte: Catho – Carreira e Sucesso

Acesse aqui a matéria em sua fonte.

Já não é novidade que, no contexto corporativo, as pessoas são julgadas e avaliadas muitas vezes mais pelo lado comportamental do que pelo técnico. E uma grande parcela das atitudes e postura dos profissionais é relacionada à maturidade, que não necessariamente está ligada ao tempo atuando em uma empresa ou no mercado como um todo.

“A experiência profissional contribui para a maturidade, mas não tem uma relação direta. Tanto que hoje existem profissionais muito jovens, de 20 a 25 anos, com responsabilidades de gestão e nível de comprometimento grande com as empresas onde atuam”, relata Mariana Almeida, gerente de RH da Mega Sistemas Corporativos.

Pessoas com baixa maturidade passam uma imagem para a empresa que pouco contribui para seu crescimento – cargos de gestão ou de tomadas de decisão, por exemplo, acabam ficando mais distantes.

“As mentiras, comportamentos infantilizados, egocentrismo, falta de foco, extrema competitividade em atividades que não são essência do trabalho e brincadeiras inapropriadas no ambiente de trabalho são algumas das características associadas à baixa maturidade profissional”, aponta Henrique Veloso, especialista em gestão de pessoas.

A imaturidade pode fazer com que o profissional se acomode demais na empresa, e permaneça por muito tempo estagnado em determinada função, mas também pode provocar a instabilidade do indivíduo, fazendo com que mude de emprego constantemente.  “Não encarar os problemas de frente e fugir das responsabilidades não colabora nem um pouco com o desenvolvimento profissional, que é consequência da imaturidade”,  conta Mariana.

Como atingir a maturidade

Ser autocrítico é fundamental para encontrar uma postura equilibrada e madura perante o contexto da organização onde atua. A inteligência e o controle emocional bem desenvolvidos são o espelho de um profissional maduro, e saber driblar e superar situações de pressão, cobrança e de conflitos é prova de que o sujeito é bem preparado.

Uma postura madura geralmente contagia e engaja os colegas de equipe, e leva, muitas vezes, o profissional a caminho de um cargo de liderança – a empresa geralmente valoriza e enxerga a maturidade de um funcionário, e abre espaço para que se desenvolva como gestor.

“Ser maduro profissionalmente permite saber lidar com as diferenças entre os indivíduos, saber se comunicar melhor, ou seja, dar e receber feedbacks sobre o trabalho, trabalhar em equipe, reconhecer falhas e aprender com elas. A maturidade também colabora para encarar situações desconhecidas e de pressão, permitindo lidar melhor com o estresse ocupacional”, opina Veloso.

Anúncios

Sobre Alexandre Fontes

Alexandre Fontes é formado em Engenharia Mecânica e Engenharia de Produção pela Faculdade de Engenharia Industrial FEI, além de pós-graduado em Refrigeração & Ar Condicionado pela mesma entidade. Desde 1987, atua na implantação, na gestão e na auditoria técnica de contratos e processos de manutenção. É professor da cadeira "Comissionamento, Medição & Verificação" no MBA - Construções Sustentáveis (UNICID / INBEC), professor na cadeira "Gestão da Operação & Manutenção" pela FDTE (USP) / CORENET e professor da cadeira "Operação & Manutenção Predial" no curso de Pós Graduação em Avaliação e Perícias de Engenharia pelo IBAPE / MACKENZIE. Desde 2001, atua como consultor em engenharia de operação e manutenção.
Esse post foi publicado em Artigos Diversos, Recolocação Profissional e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s