Conta de energia começa 2017 sem cobrança extra da bandeira tarifária

Fonte: Portal G1

Acesse aqui a matéria em sua fonte.

Distrito Federal – O ano de 2017 começará sem cobrança extra na conta de energia. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) divulgou nesta sexta-feira (30), que a bandeira tarifária de janeiro continuará verde.

Segundo a Aneel, “a condição hidrológica está mais favorável, o que determinou o acionamento de térmica com Custo Variável Unitário (CVU) abaixo de R$ 211,28 por megawatt-hora (R$/MWh).”

A taxa extra da bandeira tarifária é cobrada na conta de energia sempre que o custo de geração de energia no país fica mais alto. Esse custo aumenta quando é necessário acionar mais usinas termelétricas, que produzem energia mais cara.

Geralmente, aumenta o número de térmicas acionadas quando chove pouco, o que reduz o nível dos reservatórios das usinas hidrelétricas.

Atualmente, quando o custo da térmica mais cara em operação é de até R$ 211,28 por megawatt-hora (MWh), a bandeira fica verde, o que significa que não há cobrança extra. Se a térmica mais cara estiver entre R$ 211,28/MWh e R$ 422,56/MWh, a bandeira fica amarela, o que implica em uma cobrança de R$ 2 a cada 100 kWh consumido.

A bandeira tarifária vermelha 1 é acionada quando o custo da térmica mais cara estiver entre R$ 422,56/MWh e R$ 610/MWh, o que levará a uma cobrança de R$ 3 por 100 kWh. A vermelha 2 é acionada sempre que a térmica mais cara ultrapassar o custo de R$ 610/MWh.

Em 2016, a bandeira foi verde na maior parte do ano. A bandeira vermelha 1 foi acionada em janeiro e fevereiro, a amarela em março e novembro. No restante do ano, os consumidores não pagaram taxa extra na conta de energia.

Anúncios

Sobre Alexandre Fontes

Alexandre Fontes é formado em Engenharia Mecânica e Engenharia de Produção pela Faculdade de Engenharia Industrial FEI, além de pós-graduado em Refrigeração & Ar Condicionado pela mesma entidade. Desde 1987, atua na implantação, na gestão e na auditoria técnica de contratos e processos de manutenção. É professor da cadeira "Comissionamento, Medição & Verificação" no MBA - Construções Sustentáveis (UNICID / INBEC), professor na cadeira "Gestão da Operação & Manutenção" pela FDTE (USP) / CORENET e professor da cadeira "Operação & Manutenção Predial" no curso de Pós Graduação em Avaliação e Perícias de Engenharia pelo IBAPE / MACKENZIE. Desde 2001, atua como consultor em engenharia de operação e manutenção.
Esse post foi publicado em Brasil, Leis e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s