Projetos de eficiência energética podem trazer até 80% de economia para as indústrias

Fonte: Infomoney

Acesse aqui a matéria em sua fonte.

Em tempos de crise, gestores têm recorrido a soluções de eficiência energética proporcionadas pela automação industrial, reduzindo significativamente os gastos anuais com energia nas suas unidades. Além do ganho financeiro, a modernização do parque fabril resulta em sustentabilidade para a empresa. Isso porque, o consumo de energia elétrica está diretamente relacionado aos impactos causados ao meio ambiente.

A instabilidade econômica vivenciada pelo país reflete, diretamente, no desempenho das indústrias brasileiras. Diante do cenário de incertezas, os empresários buscam, cada vez mais, alternativas capazes de aumentar a produtividade e, ao mesmo tempo, reduzir os custos operacionais. Neste contexto, gestores têm recorrido a soluções de eficiência energética proporcionadas pela automação industrial, reduzindo significativamente os gastos anuais com energia nas suas unidades.

A simples troca de motores elétricos antigos por modelos de alto rendimento pode trazer resultados expressivos, de acordo com o diretor da SDS Automação, Carlos Alberto Silva da Silva. A empresa, com sede em Jaraguá do Sul, no Norte catarinense, vem implantando projetos de eficiência energética em empresas de diversos segmentos, proporcionando aos clientes uma economia que pode chegar a 80% ao ano, segundo o diretor. O resultado vai depender das características de cada projeto.

A Brado Logística, empresa do grupo Cosan, que atua no mercado logístico de transporte de contêineres é um exemplo. Com o objetivo de modernizar o parque fabril, reduzir o consumo de energia e aumentar a confiabilidade no processo, a empresa implantou um projeto de eficiência energética em sua unidade de Cambé, no Paraná. A solução foi desenvolvida pela SDS com a utilização de produtos da gigante jaraguaense WEG.

O projeto contemplou a troca de motores antigos e de baixo rendimento do sistema de refrigeração por motores de alta eficiência, além de painéis para acionamento dos mesmos e serviço de comissionamento e startup. O resultado final foi uma economia anual de 16%, ou 351,5 MWh, nos compressores do sistema de refrigeração, com TIR (Taxa Interna de Retorno) de 45,54%.

A fabricante catarinense de relógios Herweg S.A., localizada em Timbó, no Norte de Santa Catarina, também recorreu à modernização do parque fabril com o objetivo de reduzir a manutenção e otimizar o consumo de energia elétrica. Neste caso, o projeto propôs a substituição dos motores elétricos antigos por modelos de alto rendimento e inversores de frequência com funções de CLP incorporadas. O resultado foi uma economia anual de 21.802,84 kWh e 32,6% de energia elétrica.

Outro case de sucesso foi registrado nas estufas de secagem da empresa Banana Brasil, que atua no mercado de alimentos nutritivos e fica instalada em Schroeder, Norte catarinense. Foram realizados diversos testes e estudos analíticos para o entendimento do processo produtivo. A partir das conclusões obtidas, ocorreu a aplicação do redimensionamento e a redução da velocidade dos motores dos ventiladores, alcançando-se uma economia de energia elétrica de 43%.

Além do ganho financeiro, a modernização do parque fabril resulta em sustentabilidade para a empresa. Isso porque, o consumo de energia elétrica está diretamente relacionado aos impactos causados ao meio ambiente.

Anúncios

Sobre Alexandre Fontes

Alexandre Fontes é formado em Engenharia Mecânica e Engenharia de Produção pela Faculdade de Engenharia Industrial FEI, além de pós-graduado em Refrigeração & Ar Condicionado pela mesma entidade. Desde 1987, atua na implantação, na gestão e na auditoria técnica de contratos e processos de manutenção. É professor da cadeira "Comissionamento, Medição & Verificação" no MBA - Construções Sustentáveis (UNICID / INBEC), professor na cadeira "Gestão da Operação & Manutenção" pela FDTE (USP) / CORENET e professor da cadeira "Operação & Manutenção Predial" no curso de Pós Graduação em Avaliação e Perícias de Engenharia pelo IBAPE / MACKENZIE. Desde 2001, atua como consultor em engenharia de operação e manutenção.
Esse post foi publicado em Brasil, Eficiência Energética, Sustentabilidade e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s