Itajaí, em SC, investe em energia solar em seus espaços públicos

Fonte: Engenharia Compartilhada

Acesse aqui a matéria em sua fonte.

Com cerca de 200 mil habitantes, a cidade de Itajaí vem sendo um exemplo no investimento em sustentabilidade, em especial em energia renovável. Além dos projetos ambientais desenvolvidos em seu porto e na rede escolar, o município aposta em paradas de ônibus ecológicas.

Fabricado com “madeira plástica”, a estrutura é composta por garrafas PET, sacolas, resquícios de material de informática e 20% de casca de arroz. Além do material totalmente reciclado, os pontos têm lâmpadas de LED com sensor, que são abastecidas por energia solar.

Por meio desse sistema, a iluminação tem autonomia para quatro dias sem sol. A implantação integra um programa de reurbanização do município, que inclui a construção de ciclovias e de calçadas adaptadas.

Atualmente, a cidade já possui 22 pontos de ônibus ecológicos. Além disso, a cidade acaba de inaugurar uma usina solar fotovoltaica. Instalada no prédio público Centreventos, serão produzidos sete mil kWh por mês, gerando uma economia de mais de quatro mil reais mensais.

Os 224 painéis fotovoltaicos, com 250 watts cada um, serão capazes de fornecer um terço do consumo mensal do espaço de eventos. “Esse será o primeiro prédio público a ser abastecido com energia ‘limpa’. Quando a usina produzir energia que não for consumida no Centreventos irá para a rede da Celesc como carga suplementar, e retornará em desconto no consumo de energia do mês seguinte”, explica o secretário de Obras, Tarcízio Zanelato.

Também está previsto nos planos da prefeitura instalar placas solares no Morro da Cruz, o ponto mais alto de Itajaí. O projeto está previsto para 2016 e promete atender 100% da iluminação pública da região.

Anúncios

Sobre Alexandre Fontes

Alexandre Fontes é formado em Engenharia Mecânica e Engenharia de Produção pela Faculdade de Engenharia Industrial FEI, além de pós-graduado em Refrigeração & Ar Condicionado pela mesma entidade. Desde 1987, atua na implantação, na gestão e na auditoria técnica de contratos e processos de manutenção. É professor da cadeira "Comissionamento, Medição & Verificação" no MBA - Construções Sustentáveis (UNICID / INBEC), professor na cadeira "Gestão da Operação & Manutenção" pela FDTE (USP) / CORENET e professor da cadeira "Operação & Manutenção Predial" no curso de Pós Graduação em Avaliação e Perícias de Engenharia pelo IBAPE / MACKENZIE. Desde 2001, atua como consultor em engenharia de operação e manutenção.
Esse post foi publicado em Brasil, Cidades, Eficiência Energética, Sustentabilidade e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s