LEED V4: A nova versão da certificação e suas atualizações

Fonte: Sustentarqui

Divulgação: Procel Info

Acesse aqui a matéria em sua fonte.

Brasil – A nova versão da certificação de construção sustentável – LEED v4 – apresenta novos requisitos para obtenção do selo, principalmente com atualizações técnicas visando aumentar as exigências do mercado verde.

A certificação internacional LEED (Leadership in Energy and Environmental Design) é uma ferramenta voluntária que quantifica parâmetros e desempenho na adoção de práticas de construção sustentável na edificação. Tem como objetivo estimular o desenvolvimento de novas edificações ou reforma de edificações em consonância com práticas, metodologias e tecnologias de construção sustentável.

Para elevar os padrões técnicos desse mercado, em uma periodicidade que varia de 2 a 4 anos, uma nova versão da certificação LEED é desenvolvida. A mais recente atualização – o LEED v4 – apresenta modificações estruturais e de processo, principalmente atualizações técnicas visando aumentar as exigências ao mercado.

As práticas e pontuações da nova certificação, ao analisar os atributos de sustentabilidade de uma edificação, prioriza aquelas ações que, na ordem a seguir, tratam de assuntos relacionados à: mudanças climáticas (35%), Saúde (20%), Recursos Hídricos (15%), Biodiversidade (10%), Recursos Naturais (10%) Economia Verde (5%) e Comunidade (5%).

Três pontos principais guiaram a concepção da nova certificação LEED v4:

1 – Maior restrição do ponto de vista técnico e aumento de suas exigências.

2 – Destaque no cenário global, estando presente em 153 países.

3- Diversidade de edificações que buscam a certificação: estádios, centro de convenções, prédios comerciais, hospitais, data centers, hotéis, escolas, centro de distribuição, edificações existentes, entre outros.

Principais mudanças no LEED v4:

– Espaços sustentáveis: Pontua projetos nos chamados “terrenos de alta prioridade”, que contempla o desenvolvimento social frente à necessidade de determinada região, definida por planos diretores ou identificada por meio de um conjunto de fatores sociais.

– Nova categoria “localização e transporte”, com o objetivo de estimular que os projetos considerem o aproveitamento máximo das práticas relacionada à mitigação ao impacto no transporte. Também pontua projetos que privilegiem o acesso a pé e ao transporte público/alternativo (bicicletas, etc).

– Uso eficiente da água: Aumentou a pontuação que pode ser atingida com o gerenciamento de água da chuva; sem contar a obrigatoriedade da medição do consumo da água nas edificações.

– Energia e Atmosfera: a principal mudança está no pré-requisito de eficiência energética, ainda mais exigente que a versão anterior. Isso sem contar que considera não só o consumo energético da edificação, mas também o cumprimento das recomendações da concessionária perante a escala urbana de consumo.

– Materiais e recursos: Foco no ciclo de vida dos materiais, com novos créditos que premiam produtos com Declaração Ambiental de Produtos (DAPs). Aumento nos requerimentos de informes para matéria-prima, incluindo lugares de extração e compromissos ambientais por parte dos fornecedores.

Alinhado com a Política Nacional de Resíduos Sólidos, o LEED v4 exige a apresentação de um Planejamento de Gerenciamento de Resíduos e estimula o uso de reuso de materiais.

– Sinergia: Crédito específico para pontuar os projetos nos quais a equipe responsável pela concepção do projeto demonstra conhecer profundamente acerca do processo integrado na concepção do projeto.

Uma das principais características da certificação LEED é basear-se pela busca do consenso de diversos segmentos do mercado. O processo de discussão e aprovação do LEED v4 iniciou-se em 2010, envolvendo milhares de profissionais voluntários de diversos países, passando por seis períodos de comentários públicos, onde foram recebidos, analisados e considerados 22.000 comentários. “Trata-se de um trabalho necessário para que a certificação cada vez mais possa estimular os avanços nas construções sustentáveis, a partir de melhorias em processos, produtos e com base nas exigências globais de sustentabilidade”, afirma Felipe Faria, Diretor do Green Building Council Brasil (GBC Brasil).

O LEED v4 e suas atualizações serão um dos temas do programa de conferências da 5ª Greenbuilding Brasil – o evento da construção sustentável da América Latina – que será realizado em São Paulo, em agosto. 

Anúncios

Sobre Alexandre Fontes

Alexandre Fontes é formado em Engenharia Mecânica e Engenharia de Produção pela Faculdade de Engenharia Industrial FEI, além de pós-graduado em Refrigeração & Ar Condicionado pela mesma entidade. Desde 1987, atua na implantação, na gestão e na auditoria técnica de contratos e processos de manutenção. É professor da cadeira "Comissionamento, Medição & Verificação" no MBA - Construções Sustentáveis (UNICID / INBEC), professor na cadeira "Gestão da Operação & Manutenção" pela FDTE (USP) / CORENET e professor da cadeira "Operação & Manutenção Predial" no curso de Pós Graduação em Avaliação e Perícias de Engenharia pelo IBAPE / MACKENZIE. Desde 2001, atua como consultor em engenharia de operação e manutenção.
Esse post foi publicado em Sustentabilidade e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s