Segurança elétrica nas instalações Pesquisa revela que 40% dos imóveis já fazem manutenção da instalação elétrica

Fonte: Infra News (07/05/2014)

Segurança elétrica nas instalações Pesquisa revela que 40% dos imóveis já fazem manutenção da instalação elétrica

Pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro do Cobre (Procobre) e o Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo avaliou 780 edifícios no Estado, com o objetivo de avaliar se eles estão atendendo aos requisitos da instrução técnica IT-41, que prevê a inspeção visual das instalações elétricas de baixa tensão para gerar o auto de vistoria. Os dados foram coletados entre agosto e outubro de 2013. A amostra abrangeu edificações comerciais, residenciais e industriais, com um perfil constituído por prédios novos e com idade superior a 5 anos.

No universo da amostra, 40% dos prédios visitados pelo Corpo de Bombeiros haviam realizado a manutenção ou reforma prévia de suas instalações elétricas de acordo com os requisitos da IT-41. Das 780 unidades avaliadas, 14% receberam o ‘Comunique-se’ – a indicação de que algum reparo se faz necessário na instalação elétrica. A maior incidência de erro nas instalações foi verificada nos imóveis entre 10 e 15 anos (18%) e a menor,nas indústrias (9%).

Entre os principais motivos para a emissão do ‘Comunique-se’ estão: partes vivas expostas (42%), instalações elétricas do sistema de segurança desprotegidas contra o fogo (26%), condutores elétricos instalados de forma inadequada (25%) e condutores elétricos sem isolamento ou danificados (21%).

“Os números revelam a movimentação do setor para se adequar à norma, uma vez que 40% das edificações já haviam se preparado espontaneamente para atender aos seus requisitos”, informa o Tenente Coronel Adílson Antônio da Silva, do Departamento de Segurança Contra Incêndio do Corpo de Bombeiros. “Antes não tínhamos um instrumento que regulamentasse a questão e hoje há propostas em andamento no Congresso Nacional com este fim. Até o momento, no entanto, a IT-41 é o único instrumento legal que nos auxilia no processo de manutenção da segurança das instalações elétricas das edificações”, destaca Antônio Maschietto, Diretor Executivo do Procobre.

O texto da IT-41 fundamenta-se nas prescrições da NBR 5410 – norma que rege as instalações elétricas de baixa tensão – e nos regulamentos das autoridades de concessionárias de energia elétrica. A instrução é resultado de uma proposta apresentada em 2006 pelo Procobre e NEMA Brasil – Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Elétricos –, em conjunto com o Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Estado de São Paulo.

A instrução estabelece condições mínimas para verificar a existência de medidas e dispositivos essenciais à proteção das pessoas e das instalações elétricas contra possíveis situações de choques elétricos e de risco de incêndio. O Procobre, por meio de seus consultores, colaborou para a redação do Manual de Inspeção Visual – instrumento de vistoria utilizado no ato da inspeção.

Por parte do Corpo de Bombeiros, a IT-41 é vista como um benefício à sociedade. Estatísticas da Corporação de 1999 a 2009 indicavam que 56,1% dos boletins de ocorrência relativos a incêndios tiveram origem intencional, sendo que, dos 43,9% restantes, provocados acidentalmente, 12,7% tiveram origem nas instalações elétricas, primeira colocação entre os fatores acidentais.

É importante destacar que a inspeção visual das instalações é feita por profissional habilitado pelo CREA para este tipo de serviço, seguindo as instruções da IT-41. Após a inspeção, ele entrega para o Bombeiro a declaração de conformidade da instalação devidamente assinada pelo responsável técnico e pelo proprietário da edificação. Somente as obras consideradas em conformidade com as exigências da IT-41 recebem o auto de vistoria emitido pela corporação.

 

Sobre Alexandre Lara

Alexandre Fontes é formado em Engenharia Mecânica e Engenharia de Produção pela Faculdade de Engenharia Industrial FEI, além de pós-graduado em Refrigeração & Ar Condicionado pela mesma entidade. Desde 1987, atua na implantação, na gestão e na auditoria técnica de contratos e processos de manutenção. É professor da cadeira de "Operação e Manutenção Predial sob a ótica de Inspeção Predial para Peritos de Engenharia" no curso de Pós Graduação em Avaliação e Perícias de Engenharia pelo MACKENZIE, professor das cadairas de Engenharia de Manutenção Hospitalar dentro dos cursos de Pós-graduação em Engenharia e Manutenção Hospitalar e Arquitetura Hospitalar pela Universidade Albert Einstein, professor da cadeira de "Comissionamento, Medição & Verificação" no MBA - Construções Sustentáveis (UNIP / INBEC), tendo também atuado como professor na cadeira "Gestão da Operação & Manutenção" pela FDTE (USP) / CORENET. Desde 2001, atua como consultor em engenharia de operação e manutenção.
Esse post foi publicado em Artigos Diversos, Facility Management e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s